A empresa Casa Shelter (denominada "o Provedor") é uma empresa de prestação de serviços, administração, concierge e gestão de alugueres para particulares (denominada "o Cliente"). O prestador de serviços pode intervir, segundo o acordo das Partes e em função das competências necessárias para a prestação de serviços, como prestador de serviços directo ou como intermediário no contexto do contacto dos clientes com prestadores de serviços ou fornecedores terceiros (a seguir designados por "Serviços").

LEMBRETE DO CÓDIGO DO CONSUMIDOR

Em conformidade com o artigo L 121-21-8 do Código do Consumo relativo, nomeadamente, aos serviços de alojamento prestados numa data ou período determinado, chama-se a atenção do arrendatário para o facto de este não beneficiar do direito de rescisão previsto no artigo L 121-21.

OBJECTIVO E APLICAÇÃO DAS CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

As presentes Condições Gerais de Venda (GTS) de 23 de Abril de 2020 destinam-se a reger os termos e condições aplicáveis entre o Prestador de Serviços e os seus clientes para a prestação de Serviços realizada de uma só vez ou numa base regular através da subscrição de um pacote.
Qualquer encomenda de Serviços implica irrevogavelmente a aceitação pelo Cliente destes Termos e Condições de Venda (disponíveis no site https://casashelter.com). Os detalhes do Serviço constarão do contrato de Serviço a ser assinado pelo Cliente. O Cliente declara ter lido e aceite a GCS antes de efectuar qualquer encomenda de Serviços.

ENCOMENDA

Condições aplicáveis a todas as encomendas

Qualquer encomenda só se torna definitiva depois de confirmada por escrito pelo prestador de serviços, por via electrónica ou postal. Qualquer pedido do Cliente para modificar ou cancelar uma ordem confirmada pelo Prestador de Serviços deve ser feito pelo menos três (3) dias de calendário antes do início dos Serviços, a fim de ser levado em consideração pelo Prestador de Serviços. É especificado que qualquer pedido de alteração está, no entanto, sujeito à avaliação e aceitação do prestador de serviços. Qualquer pedido de modificação ou cancelamento pelo Cliente após o prazo definido no parágrafo anterior poderá ser rejeitado pelo Prestador de Serviços. Nesse caso, o preço da encomenda permanecerá devido pelo Cliente e as somas já pagas pelo Cliente não serão reembolsadas em nenhuma circunstância. Traduzido com a versão gratuita do tradutor - www.DeepL.com/Translator

Condições especiais para os serviços para os quais a empresa actua como intermediária

A encomenda de Serviços do Cliente por parte do Prestador de Serviços não cria, de forma alguma, uma presunção de que o Prestador de Serviços está a prestar o serviço directamente. Apesar de todo o cuidado tomado pelo Prestador de Serviços, se o Prestador de Serviços agir apenas como intermediário ou agente na relação entre o Cliente e os Prestadores de Serviços e Fornecedores Terceiros, o Prestador de Serviços não incorrerá em qualquer responsabilidade relacionada com a execução do contrato de venda e/ou do contrato de prestação de serviços. O prestador de serviços também não será responsabilizado por quaisquer danos ou prejuízos de qualquer natureza causados pelos prestadores de serviços e fornecedores terceiros, incluindo atrasos na entrega/implementação ou não conformidade de um serviço. Os atrasos na execução não implicam o cancelamento ou a alteração da ordem.

PREÇOS E PAGAMENTO

Os Serviços serão facturados com base nas tarifas definidas na proposta de preços elaborada pelo Prestador de Serviços para o Cliente. Salvo indicação em contrário, as propostas de preços são gratuitas e válidas por três (3) meses. Para além deste período, deve ser elaborada uma nova proposta de taxa. Para serviços facturados pela Empresa numa base horária, qualquer meia hora iniciada permanecerá devida na sua totalidade.
Não obstante o parágrafo anterior, o prestador de serviços pode ser obrigado a modificar o preço dos serviços (incluindo no âmbito de um contrato de preço fixo). O Cliente será informado pelo menos um (1) mês antes de as alterações entrarem em vigor.
Com excepção dos Serviços prestados no âmbito de um Contrato de Preço Fixo, assim que os Serviços forem prestados, será enviada uma factura ao Cliente. Com o acordo das partes, os serviços podem ser facturados mensalmente no caso de serviços regulares ou periódicos.
Para qualquer Contrato de Preço Fixo, será enviada uma factura mensal ao cliente no final do mês para os Serviços realizados durante o mês. As facturas serão enviadas ao cliente por e-mail ou, mediante pedido, por correio. O pagamento será efectuado após recepção da factura e, o mais tardar, quinze (15) dias após a data de envio da factura. Os pagamentos podem ser efectuados por cheque, transferência bancária ou numerário.
A falta de pagamento na data de vencimento resultará em sanções por atraso de pagamento à taxa de juro legal em vigor.

DIREITO DE RESCISÃO EM CASO DE VENDA À DISTÂNCIA

A lei francesa alarga o direito de retractação para 14 dias a contar da data da encomenda ou da validação de uma proposta tarifária feita por Internet, por correio ou por telefone. Durante este período, o Cliente pode cancelar a sua encomenda. Para o fazer, envie um e-mail para contact@casashelter.com.
O prestador de serviços não poderá ter em conta qualquer pedido oral de retractação. De acordo com o artigo L121-20-13 do Código do Consumidor francês, o Cliente tem 14 dias a partir da data de envio da encomenda para mudar de opinião. Durante este período, o Cliente pode mudar de ideias e cancelar a sua encomenda sem ter de apresentar qualquer justificação ou explicação.
O Cliente não será responsável por quaisquer sanções ou outros encargos. Qualquer depósito pago com a encomenda será reembolsado na totalidade, no prazo máximo de 30 dias a contar da notificação de rescisão (em conformidade com o artigo L121-20-1 do Código do Consumidor francês). O serviço só produzirá efeitos no final deste período de 14 dias se o Cliente não tiver utilizado o seu direito de rescisão (em conformidade com o artigo L121-20-13 do Código do Consumidor francês).
Os serviços encomendados entrarão em vigor no final do período de retirada. No entanto, se tiver a certeza de que não pretende exercer o seu direito de retractação e que pretende que os Serviços comecem antes deste período de 14 dias, o Cliente pode renunciar expressamente ao seu direito de retractação, indicando-o por escrito. A partir daí, os Serviços podem começar a partir da recepção da nota de encomenda.

TERMINAÇÃO

No caso de um Contrato de Preço Fixo, se este previr expressamente que o Cliente resolva o Contrato de Preço Fixo prematuramente, tal resolução só poderá ocorrer após a recepção pelo Provedor de uma denúncia do Contrato de Preço Fixo, mediante notificação escrita do Cliente por correio. Nesse caso, a rescisão do Contrato de Preço Fixo produzirá efeitos no final do mês seguinte ao da recepção da notificação. Os Serviços, que são objecto do Contrato de Preço Fixo, serão executados e facturados até à data da sua cessação efectiva.
O Prestador de Serviços reserva-se o direito de rescindir um Contrato de Preço Fixo entre o Prestador de Serviços e o seu cliente em qualquer altura e sem ter de justificar a sua decisão. Se o Cliente tiver autorizado montantes para Serviços que ainda não tenham sido executados, será então efectuado um reembolso.
Em caso de não pagamento pelo Cliente nas datas de vencimento acordadas no Contrato de Preço Fixo, a Prestadora de Serviços poderá rescindir o Contrato de Preço Fixo sem ser responsável por qualquer indemnização e sem prejuízo de qualquer reclamação por danos por parte da Prestadora de Serviços.

RESPONSABILIDADE CIVIL E SEGUROS

O Cliente reconhece expressamente que, no contexto dos seus Serviços, o Prestador de Serviços só está vinculado por uma obrigação de meios, quer se trate de Serviços prestados como prestador de serviços ou como mero intermediário. Em relação aos serviços prestados pelo prestador de serviços como intermediário, para além da sua responsabilidade como intermediário, o prestador de serviços não será responsável por qualquer litígio relacionado com a qualidade dos produtos ou serviços (incluindo o cumprimento de prazos ou especificações) entregues ou executados por um prestador e prestador de serviços terceiro.
Se o Cliente confiar ao Prestador de Serviços um conjunto de chaves do seu domicílio para a realização de um Serviço na sua ausência, o Cliente assinará uma liberação para que o Cliente - declare que não tem dinheiro, jóias ou quaisquer outros valores no seu domicílio e - libere o Prestador de Serviços de qualquer responsabilidade no caso de qualquer dano que possa resultar da intervenção ou ocupação, mesmo temporária, do seu domicílio por terceiros.
Em nenhuma circunstância o prestador de serviços será obrigado a compensar quaisquer danos imateriais (consequenciais ou indirectos) ou indirectos, tais como, nomeadamente, perdas de mercado, perdas comerciais, lucros cessantes, etc. Em qualquer caso, a responsabilidade do prestador de serviços deve limitar-se aos danos materiais directos causados por uma falta comprovada da sua parte e não deve exceder 30% do montante da encomenda em causa.
O Prestador de Serviços é titular de uma apólice de seguro multi-riscos profissional para o exercício da sua actividade.

GESTÃO DO ARRENDAMENTO

Ponto da situação

O inventário dos móveis, equipamentos, materiais e objectos será elaborado de forma contraditória entre o Proprietário (ou o Prestador de Serviços) e o Locatário quando as chaves forem entregues ao Locatário e quando este abandonar o local, sob a única e irrevogável responsabilidade do Locatário.
Se o inventário dos equipamentos à chegada não puder ser efectuado, o Locatário deve comunicar inventários incompletos e apresentar as suas observações sobre o inventário dos equipamentos no prazo de 72 horas após a tomada de posse das instalações. Após este período, o Locatário será responsável por quaisquer danos, deterioração ou artigos em falta no inventário (lista não exaustiva) anotados posteriormente.
O proprietário poderá, sob a sua responsabilidade exclusiva, delegar a elaboração do inventário das instalações de entrada ou de saída nas condições previstas no mandato.

Duração

O aluguer não pode ser prolongado sem o prévio acordo escrito do Proprietário ou do Prestador de Serviços, aceitando-o assim o Locatário. Em caso de prorrogação do período de aluguer, o período total de aluguer não pode exceder noventa dias.
O arrendatário declara por sua honra que não exerce nem procura exercer qualquer profissão no arrendamento e que as instalações que são objecto deste contrato lhe são arrendadas apenas como residência temporária, condição importante sem a qual este arrendamento não poderia ter sido concedido.

Depósito - Cláusula penal

O montante pago pelo Locatário no momento da assinatura do presente contrato constitui um depósito nos termos do artigo L 114 - 1 do Código do Consumo, que as partes aceitam e reconhecem.
Este montante será deduzido do montante total do aluguer aqui previsto.
Se o Locatário se retirar, perderá o seu depósito se se retirar mais de seis semanas antes da data de início do período de aluguer.
Se o Locatário se retirar, perderá o seu depósito se se retirar mais de seis semanas antes da data de início do período de aluguer.
No entanto, se os bens abrangidos por este acordo puderem ser readmitidos nas mesmas condições, apenas o depósito continuará a ser devido.
Qualquer retirada deve ser enviada ao prestador de serviços por carta registada com aviso de recepção. Em caso de partida antecipada durante o período de aluguer, por qualquer razão, o montante total da estadia será devido.
O Locatário compromete-se, em caso de rescisão pelo proprietário ou em qualquer outro caso particular, a aceitar outro aluguer proposto pelo Prestador de Serviços. Neste caso, a Casa Shelter proporia ao Locatário um imóvel da mesma categoria, permitindo acomodar o mesmo número de pessoas e no mesmo intervalo de preços (+/- 10%). Se o Locatário se recusar a aceitar esta nova oferta, ou se a Casa Shelter não conseguir encontrar um imóvel substituto, a reserva será simplesmente cancelada e o Locatário será imediatamente reembolsado sem qualquer compensação.

Depósito de Garantia

Como garantia do cumprimento integral das suas obrigações e como garantia de quaisquer danos que possam ser causados às instalações, mobiliário, equipamento, materiais e objectos que mobilam as instalações arrendadas, o Locatário deverá pagar ao Proprietário (ou ao Prestador de Serviços), no dia da entrega das chaves, o montante previsto para o efeito.
Este montante não vencerá juros. Este depósito será devolvido pelo Prestador de Serviços ao Locatário, após dedução do preço de substituição do mobiliário, equipamento, materiais e objectos em falta ou danificados, de quaisquer custos de reparação, limpeza adicional e de diversos encargos não incluídos no aluguer.
Se o aluguer incluir todos os encargos, esta restituição será feita pelo Proprietário (ou pelo Locatário), o mais tardar quatro (4) semanas após o final do período de aluguer.
Se o Locatário tiver de pagar pelo consumo adicional (por exemplo, telefone, electricidade, etc...), este reembolso será efectuado pelo Proprietário (ou pelo Prestador de Serviços) após recepção da declaração correspondente e dedução da parte imputável ao Locatário.
Se o montante assim pago a título de garantia se revelar insuficiente, o Locatário deverá pagar ao Proprietário (ou ao Prestador de Serviços) qualquer montante adicional mediante apresentação de documentos comprovativos por este último no prazo de oito dias a contar da referida apresentação. A Casa Shelter não pode ser responsabilizada em caso de recolha total ou parcial por parte do Proprietário.

Cláusula resolutiva

Se o arrendatário se recusar a sair do local, basta que o obrigue a fazê-lo através de uma providência cautelar emitida pelo presidente do Tribunal de Grande Instância em cuja jurisdição se situa o imóvel arrendado. Além disso, fica expressamente acordado que qualquer montante não pago na data do seu vencimento será, por força do artigo 1226º do Código Civil, acrescido de 10% a título de cláusula penal, oito dias após o envio de carta registada com aviso de recepção a solicitar o pagamento e indicando a sua intenção de executar a cláusula penal, sem prejuízo da cláusula penal resolutiva anteriormente referida e sem prejuízo dos danos e juros que possam ser reclamados em virtude do incumprimento do locatário. As despesas e honorários do processo serão suportados pelo Locatário.

Reivindicação

As descrições dos alojamentos são feitas pela Casa Shelter sob a inteira responsabilidade dos Proprietários. A Casa Shelter declina qualquer responsabilidade por quaisquer alterações feitas aos alojamentos pelos Proprietários sem o seu conhecimento. Contudo, em caso de reclamação, o turista deve contactar a Casa Shelter à chegada ou, o mais tardar, no primeiro dia útil após a chegada (antes das 12:00 horas) e confirmar a sua reclamação por escrito no prazo de 24:00 horas após a chegada.
Os escritórios da Casa Shelter estão abertos todo o ano, de segunda a sexta-feira das 9.30 às 17.00 horas).
O Locatário compromete-se a dar à Casa Shelter o tempo necessário para verificar, eventualmente no local e na presença do Locatário e do Proprietário, as razões da reclamação, as possíveis responsabilidades e para encontrar uma solução. Qualquer queixa que não seja apresentada dentro do prazo indicado e por escrito, não será tomada em consideração pela Casa Shelter.
Caso o Cliente deixe o alojamento antes da chegada do representante da Casa Shelter e sem a autorização escrita da Casa Shelter, o Cliente perderá qualquer direito a um possível reembolso. Qualquer reclamação apresentada após o termo da estadia no alojamento não será tomada em consideração e não dará lugar a qualquer reembolso e/ou compensação.
Da mesma forma, nem o Proprietário nem a Casa Shelter podem ser responsabilizados por quaisquer irregularidades que possam ocorrer nos serviços de electricidade, água, gás ou telefone, Internet ou obras que possam ou não ser adjacentes ao alojamento alugado e declinar qualquer responsabilidade por falta de usufruto não resultante dos seus actos, incluindo por perturbações na vizinhança ou outros transtornos externos à parte alugada. Dado que o presente contrato limita o papel do prestador de serviços ao de intermediário entre as partes, a sua responsabilidade não pode ser assumida pelo proprietário ou pelo arrendatário.

COMPROMISSO DO CLIENTE/PROPRIETÁRIO

O Cliente compromete-se a respeitar todas as leis e regulamentos que lhe são aplicáveis, em particular os relativos ao aluguer de uma casa de férias mobilada. Em nenhuma circunstância o Prestador de Serviços será responsável pelo não cumprimento das suas obrigações legais ou fiscais por parte do Cliente.
O Cliente compromete-se a subscrever, a expensas suas, uma apólice de seguro contra todos os riscos e danos directos ou indirectos que possam afectar todo o seu equipamento e instalações e declara que está e estará coberto, durante a vigência do presente contrato, por todas as apólices de seguro, de acordo com as práticas habituais neste domínio, nomeadamente no que respeita à sua responsabilidade civil perante terceiros.
O Proprietário compromete-se a colocar o imóvel arrendado à disposição do Locatário com o seu mobiliário, equipamento, materiais e objectos de acordo com a declaração descritiva anexa ao contrato e a respeitar as obrigações decorrentes do presente contrato. O Proprietário (ou o Prestador de Serviços) sendo irrevogavelmente responsável pela descrição do imóvel fornecido ao Locatário.
A Casa Shelter não será considerada responsável no caso de modificações que afectem o imóvel alugado ou o seu ambiente não terem sido levadas ao nosso conhecimento pelo Proprietário na data da reserva ou que ocorram entre o momento da reserva e a entrada do inquilino nas instalações. A Casa Shelter não pode ser responsabilizada por qualquer falha do Proprietário a este respeito. O Proprietário permanece sempre totalmente responsável pelo fornecimento do imóvel alugado.

COMPROMISSO DO LOCATÁRIO

O arrendatário compromete-se a tomar posse do imóvel arrendado, na data de disponibilidade fixada no contrato e nas condições em que o mesmo se encontre no momento da sua utilização e tal como descrito na memória descritiva anexa ao contrato.
O mobiliário e os bens móveis só podem sofrer as depreciações resultantes da utilização normal a que se destinam. As que, no termo do presente contrato, estiverem em falta ou tiverem sido retiradas de serviço, por motivo diferente do desgaste normal, serão pagas ou substituídas pelo Locatário, com o acordo prévio do Proprietário, pelo Locatário.
Esta cláusula aplica-se igualmente a papéis, cortinas e ao edifício em geral.
Será retido, se aplicável :

  • O valor dos objectos partidos ou rachados
  • Os custos de lavagem ou limpeza do tapete, cobertores, colchões, roupa de cama, etc. ... que teriam sido manchados.

O Locatário compromete-se a utilizar os móveis e objectos do imóvel arrendado para o uso a que se destinam e nos locais em que se encontram. O Locatário está estritamente proibido de os transportar para fora das instalações alugadas.
O Locatário deve abster-se absolutamente de atirar objectos para os lavatórios, banheira, bidé, lavatório, lavatório, WC, etc. ... que possam obstruir os esgotos, sob pena de o Locatário ser responsável pelos custos decorrentes da reposição destes aparelhos em serviço.
Sob pena de rescisão, o Locatário não poderá, em circunstância alguma, subalugar ou transferir os seus direitos ao abrigo do presente contrato sem o consentimento expresso do Proprietário ou do Prestador de Serviços; deverá viver nas instalações alugadas e não poderá, em circunstância alguma, armazenar qualquer mobiliário, com excepção de roupa de cama e pequenos artigos.
Do mesmo modo, o Locatário não pode utilizar o imóvel arrendado para organizar eventos excepcionais, como casamentos, aniversários ou outras celebrações sem o consentimento prévio do Proprietário (ou do Prestador de Serviços). Não são permitidas caravanas, tendas, casas móveis, camper vans ou outros abrigos na propriedade. O não cumprimento destas regras colocaria o Locatário em situação de incumprimento do presente contrato.
Em nenhuma circunstância as instalações actualmente arrendadas poderão ser ocupadas por mais pessoas do que o número indicado no contrato, excepto com o acordo prévio do Proprietário (ou do Prestador de Serviços). O Locatário deve confirmar o número exacto de ocupantes. Qualquer excesso do número autorizado de arrendatários será facturado proporcionalmente ao número de pessoas, sem ter em conta a duração da presença das pessoas suplementares. O fornecimento de camas suplementares é estritamente proibido, excepto para os berços para bebés, com a única condição de que a presença dos referidos bebés seja mencionada no contrato de arrendamento.
O Locatário deve permitir a realização de trabalhos urgentes nas instalações, se necessário, para manter as instalações alugadas e o equipamento comum em bom estado. O Locatário deve ainda permitir o acesso ao imóvel arrendado às diversas pessoas encarregadas da manutenção corrente da piscina, do jardim e da limpeza, quando esta estiver prevista.
O Locatário não pode trazer quaisquer animais para as instalações actualmente arrendadas, mesmo temporariamente, a menos que o Proprietário (ou o Prestador de Serviços) dê o seu acordo expresso. Em caso de arrendamento de um edifício, o Locatário deve cumprir, como ocupante das instalações, o regulamento interno do edifício. O Locatário deve notificar imediatamente o Fornecedor de Serviços de qualquer avaria ou deterioração, independentemente da causa.

TRATAMENTO DE DADOS

Em conformidade com a lei francesa relativa à protecção de dados de 6 de Janeiro de 1978, tal como alterada, o Cliente tem o direito de acesso, rectificação e supressão das informações que lhe dizem respeito. Para exercer estes direitos, o Cliente poderá contactar o Prestador de Serviços no endereço acima indicado.

CONFIDENCIALIDADE

A Prestadora de Serviços e o Cliente comprometem-se, a todo o momento, a respeitar a confidencialidade das informações comunicadas pela outra parte ou de que tomem conhecimento da outra parte, antes, durante ou após a prestação dos Serviços. Por conseguinte, a menos que a outra parte tenha dado o seu consentimento prévio expresso por escrito, cada uma das partes compromete-se a fazê-lo:

  • não comunicar esta informação confidencial a ninguém para além daqueles que dela necessitem para o correcto desempenho dos Serviços (incluindo os Prestadores de Serviços e os Fornecedores de Terceiros),
  • não a utilizar de outra forma que não seja para o bom desempenho dos Serviços.

Para efeitos do presente artigo, entende-se por "Informações confidenciais" quaisquer informações comerciais, financeiras, pessoais ou outras informações de natureza confidencial pertencentes a qualquer das partes ou por elas detidas e que serão comunicadas, sob qualquer forma, à outra parte em relação aos Serviços.

DIREITO APLICÁVEL - TRIBUNAIS COMPETENTES

Este contrato está sujeito à legislação francesa. Qualquer litígio resultante da sua execução será submetido aos tribunais da sede estatutária do prestador de serviços.

VALOR DA TRADUÇÃO

Esta Convenção é redigida em francês e traduzida para inglês e português. Em caso de discrepância entre as três versões, prevalece a versão em língua francesa.

pt_PTPT
fr_FRFR en_USEN pt_PTPT